Início > Uncategorized > Principais recursos do SQL Server 2008

Principais recursos do SQL Server 2008

Já faz algum tempo que temos utilizado o SQL Server 2008 em nossa empresa. Desde setembro de 2007, quando tivemos nosso primeiro contato no Solid Quality Summit LATAM em Sampa, temos explorado versões CTP e os novos recursos sempre nos pareceram muito instigantes. Quando a versão RTM saiu em agosto de 2008, imediatamente passamos a utilizar o SQL Server em larga escala. Vale a pena ressaltar alguns recursos que na minha opinião fazem uma diferença especial no 2008.

  1. Intellisense – O Management Studio (SSMS) agora sugere o preenchimento dos comandos que são digitados, no mesmo estilo do Visual Studio. Você digita SELECT * FROM e ele já mostra uma lista de schemas. Depois de escolher a tabela e voltar para o SELECT, ele mostra uma lista dos campos da tabela. Erros de sintaxe são sublinhados em vermelho e parênteses que abrem e não fecham são destacados. Qualquer situação de erro sublinhada em vermelho será detalhada ao passar o mouse. O Intellisense já era possível no 2005 com produtos de terceiros (o da Red Gate custa 195 dólares…) e dá uma enorme produtividade no dia-a-dia de qualquer DBA. Pra usar o Intellisense não basta ter o cliente do SQL 2008, ele precisa também estar conectado a uma instância de 2008.
  2. Comando MERGE – Sou um grande fã desse novo comando e já fiz um post aqui só sobre esse assunto. Ele gera muita economia de código em projetos de BI, principalmente na construção do Data Warehouse. Através de um único comando, pode-se resolver diversas situações de sincronização de dados. Em nossos projetos de BI, o uso do comando MERGE está trazendo uma redução drástica no tempo de desenvolvimento e teste das rotinas de carga. Além disso, o código fica mais claro e limpo.
  3. Backup comprimido – É uma prática comum configurar planos de backup mantendo um certo número de backups de dias anteriores, para aumentar o nível de proteção e permitir uma recuperabilidade mais ampla e ágil se necessário. No entanto, com o crescimento dos bancos de dados e o uso cada vez mais comum de discos SAS ou Fiber Channel de alto desempenho (o que significa menor capacidade), a área de disco disponível para backup não comporta tantos backups, embora os bancos por aí tenham superado facilmente a casa das centenas de gigabytes. O backup comprimido com um fator médio de compressão de 5 pra 1 ajuda a manter os backups seguros e duradouros. Infelizmente, esse recurso não está disponível na versão Standard, mas nem tudo é perfeito…
  4. Reporting Services – Definitivamente, o membro da família Microsoft BI que mais recebeu atenção no SQL 2008 foi o Reporting Services. Os novos componentes incorporados de gráfico e gauge da Dundas são muito superiores aos rudimentares controles de gráfico do SSRS 2005. O novo Tablix deixa o design dos relatórios muito mais flexível. O designer ficou muito mais produtivo com os ribbons no estilo do Offfice e os novos editores de propriedade por contexto. O SSRS não depende mais do IIS, o que representa um ganho arquitetural revolucionário. O Report Designer é uma aplicação stand-alone que permite que os usuários editem seus próprios relatórios (enfim!)
  5. Suporte a GIS – Agora o SQL Server suporta dois tipos de dados: GEOMETRY e GEOGRAPHY, tudo compatível com os padrões da OGC (Open Geospatial Consortium). Com isso, podem ser armazenadas informações geográficas, tais como mapas, pontos e áreas. E os campos com esses tipos de dados ainda podem ser indexados, dando um excelente desempenho para buscas diversas. Isso pode ser usado, por exemplo, em aplicações gerenciais que mostram indicadores de negócio através de cores e ícones em cima de mapas.
  6. FILESTREAM – Este novo tipo de dados permite que os dados binários de um campo e registro sejam automaticamente direcionados para um arquivo numa partição NTFS. O mais interessante é que todo o gerenciamento desse arquivo é automática. Se o registro for excluído, o arquivo também será. No backup do banco, os arquivos também vão junto e são restaurados no mesmo caminho com a restauração do backup.
  7. Estabilidade – até o momento, não tivemos um único problema de instabilidade do SQL 2008. O fato de o produto não ter recebido nenhum Service Pack desde seu lançamento em agosto é um excelente sinal de que pode-se esperar uma boa estabilidade das versões RTM do SQL Server.

Se vocês ainda não testaram o SQL Server 2008, baixem a versão trial de 180 dias (6 meses!) da versão Enterprise:

http://www.microsoft.com/sqlserver/2008/en/us/trial-software.aspx

Um bom começo é usar o cliente do SQL 2008 pra administrar instâncias de versões anteriores. Depois, pode-se partir para o upgrade das instâncias.

Categorias:Uncategorized
  1. Carlos
    07/04/2009 às 14:08

    Quer dizer que o comando Merge é o Plus do SQL Server 2008? KKkkkkkkk Rapaz, ganhe 10 anos na sua vida, mude para o Oracle🙂

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: